WEB3DEV

Cover image for [PARTE 1] Entrevista com Diego Dias, Head de Growth Partnerships & New Markets na Solana Foundation
André LL Luz for W3D Blog

Posted on

[PARTE 1] Entrevista com Diego Dias, Head de Growth Partnerships & New Markets na Solana Foundation

Diego Dias é um profissional altamente experiente e dedicado que atua como Growth Partnerships & New Markets na Solana Foundation, uma organização renomada no espaço da tecnologia blockchain e criptomoedas. Com uma trajetória notável na área de finanças, Diego tem sido um catalisador para o crescimento da Solana Foundation na América Latina desde setembro de 2022.

Sua sólida formação acadêmica inclui a obtenção de um Master of Business Administration (MBA) com foco em Banking, Corporate, Finance e Securities Law pela University of California, Berkeley, Haas School of Business. Além disso, ele aprimorou suas habilidades em Portfolio Management e Design Thinking durante seu tempo na Stanford University.

Diego também é um graduado da Emory University - Goizueta Business School, onde conquistou um Bachelor of Business Administration. Durante seus anos acadêmicos, ele demonstrou seu compromisso com a excelência ao participar de atividades e grupos como Beta Gamma Sigma, Goizueta Technology Association e Marketing Analytics Center.

Além de sua educação de alto nível, Diego envolveu-se ativamente em projetos relacionados à tecnologia, incluindo participação em iniciativas como Machine Learning at Berkeley, Blockchain at Berkeley e Launchpad, na University of California, Berkeley.

Com sua vasta experiência e conhecimento abrangente, Diego Dias desempenha um papel fundamental na expansão da presença da Solana Foundation na América Latina, estabelecendo parcerias estratégicas e explorando novos mercados. Seu comprometimento com o setor de tecnologia blockchain e sua capacidade de construir relacionamentos sólidos o tornam uma figura de destaque nesse campo em constante evolução.


Nesta série, mergulharemos fundo no universo do Hackathon Hyperdrive da Solana, trazendo informações valiosas e perspectivas de pessoas chave que estão moldando este evento inovador. Na Parte 1, exploraremos a jornada de Diego Dias, um profissional influente que desempenha um papel crucial na expansão da Solana Foundation na América Latina. Acompanhe esta entrevista para obter insights exclusivos e conhecer os bastidores deste emocionante projeto.

Como surgiu a ideia de trazer o Hackathon Hyperdrive Global para o Brasil e como você se envolveu nesse processo?
A ideia de trazer o Hyperdrive pro Brasil veio de uma proposta que eu fiz para a liderança da Solana Foundation para focarmos na América Latina, iniciando com o Brasil. Esse hackathon está servindo como um projeto piloto para testarmos o mercado e nos ajudar a planejar como continuar os trabalhos aqui. Quanto melhor for a performance no Brasil no hackathon, mais suporte da Solana Foundation teremos para dar apoio aos builders brasileiros.

Desde que comecei a trabalhar com a Solana Foundation, eu tinha vontade de trazer a Solana para o Brasil, mas foi quando eu conheci o Daniel Cukier da WEB3DEV em nossa conferência anual, Breakpoint, em Lisboa em 2022, que eu me animei. Gostei muito do trabalho que ele vinha fazendo com a WEB3DEV no Brasil e também de sua energia de empreendedor. Depois de nos conhecermos, eu ajudei a WEB3DEV receber um grant da Solana Foundation para criar conteúdo em Português, agora estamos colaborando com o Hyperdrive, e espero que essa parceria continue a crescer. Estamos aqui hoje em boa parte devido a iniciativa do Daniel, e eu gostaria de ver mais brasileiros indo atrás de oportunidades onde quer que elas estejam e trazendo elas para o Brasil.

Quais são suas expectativas em relação ao impacto desse hackathon na comunidade brasileira de tecnologia e inovação?
No curto prazo, minha principal expectativa é ver um bom engajamento da comunidade web3 brasileira com o hackathon, pois essa é uma excelente oportunidade para trabalhar em uma ideia, construir seu network, e continuar desenvolvendo suas habilidades e conhecimento de tecnologia e startups. Os participantes farão parte de um grupo de mais de 10 mil builders de todo o mundo e terão oportunidade de receber prêmios e capital semente totalizando R$5 milhões. Além disso, estamos todos representando o Brasil contra mais de 120 países que fazem parte do hackathon. Só tem ‘upside’ para quem participar.

No longo prazo, eu espero que esse hackathon sirva como umas das sementes de onde crescerá uma forte comunidade de builders no Brasil. Uma comunidade que construirá não somente grandes empresas mas também uma cultura de inovação e empreendedorismo para elevar nosso país a um novo patamar de competitividade.

Quais desafios você enfrentou ao organizar um evento desse porte no Brasil e como os superou?
São os mesmos desafios que os participantes do hackathon terão em lançar suas startups: 1) vender sua ideia e conseguir suporte, 2) formar uma equipe competente e dedicada, 3) atrair os clientes/consumidores certos para seu produto. Ainda estamos lidando com essas dificuldades, mas a maneira de superar qualquer uma delas é a mesma: ‘hustle’ (mão na massa e faça acontecer).

Quanto ao (1), mesmo já conhecendo o mercado de tecnologia do Brasil e tendo vivido aqui até minha adolescência, eu passei três meses no Brasil estudando o mercado e conhecendo as comunidades antes de fazer minha proposta para a Solana. Depois desse estudo, ainda passei mais dois meses socializando a ideia e pegando suporte internamente.

Quanto ao (2), escolhi como parceiros a WEB3DEV e a unstable DAO com membros que têm competências profissionais e perspectivas de vida diferentes e complementares. Ainda estamos naquela fase inicial e complicada de formação de uma equipe, e temos muito trabalho a fazer até termos um bom ‘flow,’ mas eu acredito no potencial de cada indivíduo no nosso time.

Quanto ao (3), por um lado, o hackathon é aberto a todos e queremos ver um grande número de inscrições do Brasil; por outro lado, nossos recursos e tempo são limitados e temos que focar nas equipes com o maior potencial. Essa é uma decisão difícil que todo empreendedor tem que fazer para ser bem sucedido: achar e focar intensamente no seu público alvo. Estar ocupado, não significa ser produtivo. Nós ainda estamos experimentando ideias para atrair um grande número de participantes e, principalmente, o melhor talento que temos para o hackathon.

Quais são seus conselhos para os participantes que desejam ter um desempenho excepcional neste hackathon?
1) Escreva seu objetivo para esse hackathon, que, no mínimo, deve ser ‘submeter um projeto até o dia 15 de Outubro.’ Não se preocupe em ganhar um prêmio. Foque em formar uma boa equipe, submeter o melhor trabalho que vocês conseguirem fazer nesse curto prazo, e aprender o máximo. Coloque esse objetivo em vários lugares visíveis que você veja todos os dias. Compartilhe com seus amigos e familiares, tanto em privado quanto em redes sociais. Mantenha todo mundo atualizado sobre seu progresso, pois isso trará uma rede de suporte para você enquanto mantém você no caminho certo e responsável para fazer o que falou.

2) Agora que você tem um objetivo e tornou ele público, escreva um plano de como atingi-lo. Você precisa de uma equipe e uma ideia pela qual vocês estejam super interessados, de preferência apaixonados. Use os recursos do hackathon para formar equipes e procurar ideias (Guia do Participante, WEB3DEV, Superteam).

3) Durante o processo de formar uma equipe e escolher uma ideia, vá dando uma estudada na Solana, mas não se aprofunde muito até ter uma equipe formada e o papel de cada membro definido. Quando tiver uma equipe, uma ideia para seu projeto, e seu papel definido, aí sim atire-se de cabeça e de seu melhor para contribuir para o sucesso do seu projeto.

A ideia do que escrevi acima é que você seja estratégico e priorize como você vai usar seu tempo para alcançar seu objetivo. Não vai dar pra aprender tudo sobre Solana em cinco semanas. Aprenda apenas o necessário para submeter o melhor projeto possível. Depois do hackathon, celebre conosco e reflita sobre o quanto você e seu time cresceram. Esse crescimento é muito mais valioso que qualquer prêmio que você possa receber no hackathon. Continue construindo e aprendendo, pois mesmo que você não receba um prêmio nessa edição, é inevitável que sua hora vai chegar.

O que mais você gostaria de compartilhar com os interessados em participar deste hackathon?
Algumas pessoas compartilharam comigo que tem ansiedade e receio de se inscrever no hackathon. Eu também já me senti assim muitas vezes. Tudo que é novo causa ansiedade e nos deixa nervosos. Além das dicas acima para ir bem no hackathon, eu tenho uma dica mais geral para situações como essa: adote uma maneira de ver a vida como uma jornada de novas aventuras, e cada uma delas vai trazer novos desafios e aprendizados. E quanto mais aventuras você fizer, menos ansiedade você terá na próxima, pois o processo de vencer desafios e aprender é o mesmo, só muda o contexto e os desafios. Com o tempo, essa ansiedade vira excitação por uma nova aventura, e você não só vai se sentir mais confortável com novas situações, mas também terá desejo de correr atrás delas. Então entre conosco nessa aventura e vamos aprender e construir juntos!

Em breve, parte 2 disponível. Assine nossa Newsletter e acompanhe as novidades da web3!

Oldest comments (0)